Minha pátria e minha bandeira – Federico Barreto

Poema


Desde que vim à terra, meu peito aninha
dois adoradas; minha Pátria e Bandeira.
Por minha pátria, o Peru, eu dou a vida!
Por minha bandeira, a alma, a alma inteira!
Eu quero que minha pátria bem querida
volte a ser em América aquilo que era,
que sua insígnia de cor branca e incendida,
flutue muito alto e seja a primeira.
Minha pátria, minha Bandeira!
Minha pátria e minha Bandeira!
Desde criança foram meus encantos,
foram meus carinhos.
Nem o sangue que terríveis nódoas deixa,
nem o lodo impróprio caia acima delas.
Nós evitemos a afronta sobretudo.
Lodo, lodo isso nunca,
sangue antes que lodo.

– Federico Barreto

Traduzido e adaptado por Pablo Alejos Flores

Licença Creative Commons

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional. “Minha pátria e minha bandeira”, um poema traduzido e adaptado por Pablo Alejos Flores.

Responder

Introduce tus datos o haz clic en un icono para iniciar sesión:

Logo de WordPress.com

Estás comentando usando tu cuenta de WordPress.com. Cerrar sesión /  Cambiar )

Google photo

Estás comentando usando tu cuenta de Google. Cerrar sesión /  Cambiar )

Imagen de Twitter

Estás comentando usando tu cuenta de Twitter. Cerrar sesión /  Cambiar )

Foto de Facebook

Estás comentando usando tu cuenta de Facebook. Cerrar sesión /  Cambiar )

Conectando a %s