Sem coração – Federico Barreto

Poema


Louco de raiva e despeito,
optei em certa ocasião,
abrir a meu amor o peito
e arrancar-lhe o coração.
Saberei assim disse fero,
se o coração dessa ingrata
que sem pena me maltrata,
é de pedra ou é de ferro.
Segui-a, logo sem calma
e com um longo punhal
rasguei o seio virginal
daquela mulher sem alma.
E quando a meus pés a vi,
um grito horrível lancei
e minhas mãos sepultei,
na ferida que lhe abri!
Busquei, logo, temerário,
dentro de seu peito ímpio,
e seu peito estava frio
como o fundo dum ossário.
Busquei com obstinação
e não encontrei o que buscava;
a mulher que tanto amava,
não trazia coração!

– Federico Barreto

Traduzido e adaptado por Pablo Alejos Flores

Licença Creative Commons

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional. “Sem coração”, um poema traduzido e adaptado por Pablo Alejos Flores.

Responder

Introduce tus datos o haz clic en un icono para iniciar sesión:

Logo de WordPress.com

Estás comentando usando tu cuenta de WordPress.com. Cerrar sesión /  Cambiar )

Google photo

Estás comentando usando tu cuenta de Google. Cerrar sesión /  Cambiar )

Imagen de Twitter

Estás comentando usando tu cuenta de Twitter. Cerrar sesión /  Cambiar )

Foto de Facebook

Estás comentando usando tu cuenta de Facebook. Cerrar sesión /  Cambiar )

Conectando a %s