O ninho vazio – Federico Barreto

Poema


Numa melhor época, aqui vivia
o anjinho protetor de meus amores.
Ela, rezando nestes corredores,
o hábito de iterar meus versos tinha.
 Este era seu jardim. Ela aqui vinha,
 ao despontar a alva, a pegar flores.
 Baixo este limoeiro, hoje sem verdores,
 despedimo-nos para sempre, um dia! 
Tem passado os anos. Já para seu horto
 ninguém vem ao despontar a aurora...
 Desde que ela partiu ficou aqui oco!
Um cemitério é aquilo agora,
 e ali, nas sombras, quando o dia tem morto,
 a alma minha por sua ausência chora... 

– Federico Barreto

Traduzido e adaptado por Pablo Alejos Flores

Licença Creative Commons

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional. “O ninho vazio”, um poema traduzido e adaptado por Pablo Alejos Flores.

Responder

Introduce tus datos o haz clic en un icono para iniciar sesión:

Logo de WordPress.com

Estás comentando usando tu cuenta de WordPress.com. Salir /  Cambiar )

Google photo

Estás comentando usando tu cuenta de Google. Salir /  Cambiar )

Imagen de Twitter

Estás comentando usando tu cuenta de Twitter. Salir /  Cambiar )

Foto de Facebook

Estás comentando usando tu cuenta de Facebook. Salir /  Cambiar )

Conectando a %s